História

digitalizar0115

No final dos anos setenta, um grupo de jovens médicos foi convidado para o Curso de Formação em Acupuntura do Instituto Hahnemanniano do Brasil, dirigido pelo professor Frederico Spaeth e coordenado pelo Dr. Orlando Gonçalves.Mesmo formando muitos acupunturistas e, servindo para difundir a ainda pouco conhecida técnica, o curso teve seu fim.

A necessidade de retomar o projeto deflagrado pelo prof. Frederico Spaeth fez com que, em meados de 1983, alguns desses jovens médicos voltassem a se reunir para a troca de ideias e planos sobre acupuntura. As reuniões, que aconteciam na casa do Dr. Orlando, tinham o propósito de reviver o sonho de difundir a prática da acupuntura no meio médico. A partir desses encontros, em 7 de dezembro de 1984, nasceu o Instituto de Acupuntura do Rio de Janeiro - IARJ.

Naquela ocasião, o grupo era formado por sete colegas, Dr. Orlando Gonçalves e seus alunos: Dr. Carlos Alberto Borja, Dr. Alcio Luiz Gomes, Dr. Ricardo Calmon e Antunes, Dr. Alexandros Spyros Botsaris, Dr. Ronaldo Azem e Dr. Roberto Leal Boorhem. Cada um com sua especialidade, contribuindo assim, para o desenvolvimento da acupuntura no Rio de Janeiro.

As reuniões de trabalho e estudo tornaram-se ensaios de aula apresentados para o próprio grupo, resultando na abertura da primeira turma do Curso de Formação em Acupuntura. As aulas eram ministradas em salas alugadas no Colégio Legrand – Botafogo. Com o sucesso e expansão do curso, o grupo de professores alugou uma casa na Travessa Pepe, onde foi instalada a sede do IARJ.

Mais de mil e quinhentos alunos passaram pelo Instituto e setecentos médicos tiveram formação completa na nova especialidade médica. Dois congressos nacionais foram realizados com o apoio do IARJ, assim como a vinda de professores estrangeiros para cursos de aperfeiçoamento. Três Cursos de Didática foram realizados com o intuito de formar novos quadros de docentes para o IARJ, aperfeiçoando seus métodos e técnicas.

Mais de cem mil consultas médicas já efetuadas pela instituição, sendo boa parte nos ambulatórios sociais, que são mantidos, exclusivamente, com recursos próprios e a preços subvencionados. 

O IARJ, com quase 30 anos de existência, foi fundamental no processo de expansão da acupuntura no Brasil, contribuindo para o seu reconhecimento como especialidade médica, além de ser pioneiro no ensino e pesquisa de outras áreas do conhecimento da Medicina Tradicional Chinesa.